Atenção! Este site usa cookies. Ao navegar no site está a permitir a sua utilização! Saiba mais.Fechar
casar este verão

Vai casar ou casou neste verão? Saiba o que pode mudar na sua vida.

8 Agosto 2017
0 comentários

A época do verão é sinónimo, muitas vezes, de um novo início na vida de um casal e de um casamento “abençoado” pelo bom tempo. Para a maioria dos apaixonados, casar significa ter um dia inesquecível. Significa partilhar com a família e com os amigos a magia e o amor dessa união. Mas, ao stress típico de uma noiva ou de um noivo antes desse grande dia, podem juntar-se várias outras questões relacionadas com as mudanças que o casamento pode trazer.

Se vai casar (ou se casou neste verão), este artigo é para si! Aqui, reunimos aquelas que são as principais alterações a nível legal e financeiro que o casamento traz, juntamente com todas as outras grande mudanças que todos já conhecemos.

Alteração de nome.

Não é obrigatório nem tem de o fazer, mas é uma das primeiras alterações notórias que o casamento pode trazer. Optou por adquirir o apelido do seu cônjuge? Nesse caso não se esqueça de que, depois do casamento, terá de mudar todos os seus documentos de identificação oficiais. Isso inclui por exemplo o cartão de cidadão, o passaporte e a carta de condução. Terá igualmente que informar o seu banco e as instituições financeiras com quem tem contratos.

Benefícios no trabalho.

Casar significa ter mais 15 dias de férias. A legislação portuguesa prevê uma Licença de Casamento. Se vai casar este ano, tem direito a 15 dias de férias na altura do seu casamento. Estes 15 dias não estão incluídos nos já habituais 22 dias. Trabalha na mesma empresa que o seu parceiro ou parceira? Nesse caso, têm também direito a gozar férias no mesmo período.

Maior rendimento mensal.

O vosso rendimento vai aumentar, e não estamos a falar de lotaria! Com o casamento passa a beneficiar de menor retenção na fonte. A título de exemplo, um trabalhador dependente não casado e sem filhos começa a pagar IRS aos 615€ e um trabalhador dependente casado e sem filhos começa a descontar para o IRS aos 641€.

Conta Conjunta.

Alguns casais optam por passar a partilhar contas bancárias e outros não. Não há uma decisão certa ou errada, mas há prós e contras em ambas as escolhas.

Optar por uma conta bancária partilhada pode facilitar na gestão do dinheiro, pois passa a existir apenas uma conta única de onde são pagas as despesas mensais e pode ser uma ajuda na gestão das finanças do casal. Apesar de não ser um tema no qual se pense quando se está a casar, ter uma conta bancária partilhada é também uma vantagem em caso de óbito de um dos cônjuges, dado que o outro tem direito a todo o dinheiro que estiver na conta, sem ter que provar a natureza da relação.

Em contrapartida, partilhar a conta bancária pode ser gerador de discussões se o casal tiver filosofias de gestão diferentes.

Perante as mudanças que o casamento traz, o importante é que seja com uma pessoa com a qual tenha abertura e confiança para discutir todos estes temas e poder geri-los da forma mais aberta possível.

Fontes:

Saldo Positivo
E-konomista
Economias

Dica BLOGO:

O casamento marca o início de muitas mudanças na vida do casal. É importante conversar sobre essas mesmas mudanças e sobre as expectativas e receios de cada um. Há várias decisões a tomar e, se vai casar este Verão ou em breve, não espere pelo dia do casamento para começar a tomar decisões.

Outros artigos que lhe poderão interessar

Seguro Vida