Atenção! Este site usa cookies. Ao navegar no site está a permitir a sua utilização! Saiba mais.Fechar
casa de férias

Investir numa casa de férias? Os prós e os contras

25 Agosto 2016
0 comentários

Acontece frequentemente apaixonarmo-nos por uma terra e jurar que viveríamos ali para sempre. Os fins de semana e férias já têm local, as sextas-feiras nunca mais chegam e os domingos chegam rápido de mais. Se procura o seu cantinho e um “porto seguro” para os dias de descanso, então do que está à espera?

Sendo que, esta opção pode tornar-se monótona, e caso seja amante de novidades, então pense duas vezes. Ao ter uma casa de férias, sente-se o dever de usufrui-la tanto nas férias como nos fins de semana, ou seja, a aquisição de uma segunda casa poder ser um bom investimento e é até encarado pelos portugueses, como uma poupança a longo prazo. Mas será mesmo assim? Aqui ajudamo-lo a ponderar os prós e contras de um investimento desta dimensão.

Prós:

– Uma casa de fim de semana, devido ao menor uso, não necessita de ser muito grande e, quer por essa razão, quer pela sua localização e para termos de comparação, o investimento poderá ser menor face à casa ‘principal’ (a de uso diário).

– O investimento pode compensar a longo prazo e caso faça melhorias na casa, estará a valorizá-la ainda mais.

– Pode arrendar a casa quando não a está a usar. Existem plataformas digitais que permitem o arrendamento ao dia (exemplo, Airbnb, Home Away). Se tiver muita procura, pode até passar a ser uma fonte de rendimento.

– As suas férias e fins de semana já têm um destino. As sextas-feiras terão um outro sabor, aproveite a escapatória. Receba familiares, amigos e fuja à rotina.

– Se fizer contas ao que gasta em hotéis ou outros arrendamentos durante as férias e fins de semana, verá que o investimento numa casa própria acabará por compensar.

Contras:

– Além do investimento na compra da casa, tem também de contar com as despesas fixas regulares, como a água, eletricidade, gás, IMI e seguro, entre outras.

– Ter uma casa própria obriga também a limpezas e manutenção. A não ser que contrate alguém para o fazer, conte com o tempo e investimento para estas tarefas. Lembre-se também que quanto maior for a casa e caso tenha jardim, maiores serão as despesas.

– Acabamos por ficar “reféns” da casa, quando pensamos em ir um fim de semana para outro local, ou até fazer uma viagem, com certeza irá passar-lhe pela cabeça o investimento que fez e que não está a aproveitar.

– A decisão passar por andar com “a casa às costas” ou investir em utensílios e eletrodomésticos, ou seja, irá precisar de tudo a dobrar uma vez que terá duas casas.

– Pondere também os gastos que irá ter com as deslocações, desgaste do carro e a distância a que a casa se encontra da sua residência fixa. Se a distância for grande, é provável que a utilização da casa não seja exatamente a que gostaria ou que teria idealizado.

Fontes:

Investidor
Casa Sapo
DECO

Dica BLOGO:

  • Arrendar uma segunda casa em vez de a comprar, pode também ser uma boa opção. Um imóvel perto da praia, ou junto a um rio, pode ter uma renda mensal alta caso a arrende apenas durante a época alta. Contudo se negociar um arrendamento anual, baixará substancialmente a renda e consegue assim uma casa de fim de semana e férias sem parte das despesas mensais e, principalmente, sem preocupações.

Outros artigos que lhe poderão interessar

Seguro Vida