Atenção! Este site usa cookies. Ao navegar no site está a permitir a sua utilização! Saiba mais.Fechar
quartos de crianças

Dicas de decoração para quartos de crianças

5 Setembro 2016
0 comentários

Os quartos de crianças são um espaço essencial para o desenvolvimento nas suas diversas dimensões: psicológica, emocional e social. É importante pensar em todos estes campos quando se decide decorar um quarto de uma criança e é fundamental criar espaços onde haja um crescimento harmonioso, explorando a sua criatividade e preservando a sua privacidade.

1) É necessário ter em conta a temática da decoração bem como o espaço que tem disponível.

Baseie-se no que o seu filho gosta, nos seus interesses e nas suas necessidades. Afinal é ali que vai passar grande parte do tempo.

O seu filho gostaria de ser astronauta? Construa uma cama em forma de vaivém. A sua filha tem o sonho de se tornar uma princesa? Faça do quarto um castelo. Haverá, com certeza, algum lugar encantado onde o seu filho/a adorasse viver, dê-lhe esse espaço, tentando recriar os seus sonhos com a ajuda da imaginação.

2) Sugestões aceitam-se!

Aceite as suas preferências de cores, mas tenha em atenção ao fator psicológico que cada uma destas provocam. Veja no artigo “As cores e os sentimentos na decoração da casa” o que cada uma das cores desperta.

Por exemplo, se o seu filho adora o vermelho então deverá aplicá-la, mas cuidado, não deve ser excessivo pois o quarto tanto é uma zona de descanso, como uma área de trabalho e o vermelho, em demasia, pode desencadear algum stress.

3) Estimule a criatividade num espaço único.

Os stencils (recortes em cartolina para pintar) são formas de criar um ambiente único para o seu filho com uma forma criativa de decorar paredes. Pode também usar papel de parede a imitar ardósia para que o seu filho dê largas à imaginação e possa desenhar nas paredes sem se preocupar com a limpeza.

4) Crie um espaço onde o estudo, a leitura e a concentração sejam privilegiados.

Uma das zonas mais importantes de um quarto de uma criança deve ser a zona de estudo. Crie um espaço tranquilo com cores que estimulem a serenidade e onde não haja distração. O branco é normalmente utilizado para espaços de concentração pois transmite alguma paz e pureza.

5) Estude bem a iluminação aproveitando a luz natural.

Foque-se em cada uma das áreas e tenha em conta as necessidades de iluminação de cada espaço. Aproveite, ao máximo, a luz natural. Use candeeiros e focos para criar, com a ajuda da luz, espaços diferenciadores.
Uma boa escolha e distribuição da luz pode potenciar um espaço, tornando-o mais acolhedor e harmonioso para cada ambiente. Deve existir uma mistura de fontes de luz em diferentes níveis para criar um ambiente agradável. É importante ter a iluminação apropriada para cada tarefa que se realiza em cada espaço (ler, ver televisão, vestir-se, etc). Para os quartos é dada primazia à luz quente, que é mais repousante.

6) Deixe também um espaço para as brincadeiras, de forma a que o seu filho possa receber os amigos e assim jogar e divertir-se.

A maturidade social começa a desenvolver-se desde tenra idade. Aprender a partilhar o seu espaço, os seus brinquedos e construir algo em conjunto são conquistas que ficam definidas para a vida adulta. Dê espaço para as brincadeiras das crianças.

7) A segurança deve ser revista.

O quarto é o local da casa onde o seu filho/a passa a maioria do tempo e muitas vezes sozinho/a. É também onde brinca e descansa, e portanto deve ser adaptado de modo a oferecer as máximas garantias de segurança.

Janelas que se podem tornar perigosas, móveis inacabados, mal fixos ou com pontas afiadas podem tornar-se também um problema. Assim, as janelas devem ser equipadas com travões ou fechaduras de segurança, e as esquinas dos móveis protegidas com borracha. Também a instalação elétrica deve ser “à prova de crianças”.

Fontes:

Viva Decora
Homify
Idealista
Medipédia
Complexo magazine

Dica BLOGO:

  • O quarto de uma criança é o seu espaço de estudo, de brincadeiras e de descanso, mas não deve ficar limitado a este espaço. O convívio com a família e até com os amigos mais próximos, deve ser feito preferencialmente nos espaços comuns da casa de forma a promover a sociabilidade e fugir da individualidade.

Outros artigos que lhe poderão interessar