Atenção! Este site usa cookies. Ao navegar no site está a permitir a sua utilização! Saiba mais.Fechar

O que não Inclui a subscrição de um Seguro de Vida?

3 Abril 2018
0 comentários

O seguro de vida é geralmente associado ao crédito habitação, por ser solicitado pelos bancos como garantia do valor do crédito. Contudo, pode também subscrever um seguro de vida para garantir o património e liquidez financeira da sua família.

Ao longo deste artigo, apresentamos as coberturas e exclusões de um seguro de vida.

Exclusões

Como acontece com outros seguros, um seguro de vida pode ser mais ou menos abrangente. Pode ter coberturas diferentes consoante o plano subscrito.

No entanto, os seguros de vida, geralmente, apresentam as mesmas exclusões. Os seguros de vida não poderão ser utilizados, sempre que a morte ou invalidez se deva a:

  • Suicídio;
  • Consumo de álcool;
  • Consumo de estupefacientes;
  • Participação em atos criminosos;
  • Acidentes de aviação não comercial;
  • Competições desportivas de velocidade;
  • Terrorismo;
  • Guerra;
  • Catástrofes da natureza.

Coberturas

Ao subscrever um seguro de vida tenha em consideração quais as coberturas que está a contratar.

Um seguro de vida pode cobrir o risco de morte e/ou de sobrevivência e incluir ou não coberturas complementares como a invalidez, acidente ou desemprego.
Tratando-se de um seguro de vida que cobre o risco de morte, se a pessoa segura falecer no decorrer do contrato, é pago pela seguradora o capital acordado ao beneficiário legal ou ao indicado pela pessoa segura no momento da contratação do seguro.

No caso do seguro de vida cobrir o risco de sobrevivência, o capital acordado é pago pela seguradora, caso a pessoa se encontre viva no término do contrato.

Invalidez

Se contratou ou pretende contratar um seguro de vida com cobertura em caso de invalidez, tenha em consideração se está incluída a Invalidez Absoluta e Definitiva ou a Invalidez Definitiva para Profissão ou Atividade Compatível.

No caso da primeira, a seguradora paga o capital contratado sempre que a pessoa segurada apresenta um grau de incapacidade igual ou superior a 85% para realizar qualquer atividade e se encontra dependente de uma terceira pessoa.

No segundo, é ativado o seguro quando o segurado apresenta uma incapacidade igual ou superior a 66% para realizar qualquer atividade remunerada compatível com as suas aptidões e valências.

Conclusão

O seguro de vida pode ser contratado como medida preventiva, de forma a assegurar a sua estabilidade financeira ou da sua família, de modo a contar com o apoio da seguradora numa fase da sua vida em que pode até já não estar ou conseguir trabalhar ou garantir que a sua família não passa por dificuldades financeiras após a sua ausência.

Em alguns casos, o seguro de vida possui ainda cobertura das despesas associadas ao falecimento, como o funeral e despesas médicas ou ainda a cobertura de eventuais dívidas e impostos, caso algo de trágico lhe aconteça.

Antes de subscrever um seguro de vida, tenha sempre em consideração quais as coberturas que pretende contratar e qual o capital que lhe interessa segurar.

Fontes:

Ekonomista
LOGO
Bancos

Dica BLOGO:

Vai subscrever um crédito habitação? Saiba que não é obrigatório contratar o seguro de vida na mesma instituição onde irá contratar o crédito habitação. Analise e simule as alternativas que o mercado oferece. Lembre-se que é livre de escolher a instituição a quem quer contratar o seguro de vida!

Outros artigos que lhe poderão interessar

Seguro Vida