Atenção! Este site usa cookies. Ao navegar no site está a permitir a sua utilização! Saiba mais.Fechar
acidente

Como reagir num acidente em cadeia?

13 Julho 2016
0 comentários

Estar envolvido num acidente não é uma experiência nada agradável, o transtorno que nos causa, a burocracia, e o desconforto da situação, não nos permitem muitas vezes ter a lucidez para entender o que devemos fazer e que procedimento seguir. Num acidente em cadeia, a situação é igualmente incómoda. Além de serem vários os condutores envolvidos, de quem será mesmo a responsabilidade? Devemos preencher duas declarações amigáveis, uma para o acidente em frente e outra para o detrás? Deixamos abaixo o que deve fazer bem como os cuidados a ter.

Em primeiro lugar, a prioridade deve ser garantir a sua segurança e a dos que o rodeiam. Caso existam feridos deve ligar imediatamente para o número nacional de emergência, o 112. Deverá vestir o colete refletor e dirigir-se para um local seguro e longe das faixas de rodagem, mas atenção que esta movimentação deve ser feita em segurança e tendo em atenção outros carros que possam estar a passar.

Só depois de a segurança estar garantida, do acidente estar sinalizado com o triângulo e o trânsito organizado (se for pela polícia, tanto melhor) é que deve voltar ao seu carro e apurar os estragos e responsabilidades. Nesta altura há que entender a razão do acidente. E este pode ter tido origem em uma de duas situações.

Situação A: Houve um primeiro acidente envolvendo as viaturas “A” e “B”. A viatura “C” bate depois na viatura “B”.

Situação B: As viaturas “A”, “B” e “C” não estando envolvidas em acidente, são abalroadas pela viatura “D” que vem de trás.

Situação A

Caso seja o condutor da viatura “A” está, à partida, isento de responsabilidade, tendo apenas que preencher a declaração amigável com o condutor da viatura “B”.

Caso seja o condutor da viatura “B” (ou outra que fique no meio deste tipo de acidente em cadeia), terá a responsabilidade dividida, ou seja, será responsável peloa ocorrência com o carro à sua frente, e isento de responsabilidade no acidente com o carro detrás, neste caso deve preencher duas declarações amigáveis, uma de cada um dos acidentes.
Caso seja o condutor do veículo “C” (ou do último envolvido neste acidente) a sua responsabilidade é limitada apenas ao acidente com o carro diretamente envolvido com o seu.

Situação B

Já a segunda situação é diferente, pois o código da estrada apenas obriga a deixar uma distância de segurança para com o carro da frente, de forma a garantir um espaço de travagem segura em situação urgente. Respeitando esta regra, caso seja abalroado por um carro posterior (que está na parte de trás) ao seu e acabe por embater no carro à sua frente, a responsabilidade não é sua, mas sim do carro que provocou toda essa situação.

O relatório da polícia deverá seguir junto da declaração ou declarações amigáveis que entregar à sua seguradora. Fale também com a assistência em viagem da sua seguradora de forma a entender quais os procedimentos específicos a seguir.

Fontes:

Site dos Seguros
RP Associados

Dica BLOGO:

  • Confirme se no seu carro tem formulários de Declaração Amigável de Acidente Automóvel. Caso não tenha, peça alguns exemplares à sua seguradora.

Outros artigos que lhe poderão interessar