Atenção! Este site usa cookies. Ao navegar no site está a permitir a sua utilização! Saiba mais.Fechar
alergias

Alergias – Como saber ao que é alérgico e o que fazer

25 Agosto 2016
0 comentários

As alergias são cada vez mais comuns e, pode até parecer anormal, mas as crises podem acontecer em qualquer idade. Caso nunca tenha sido alérgico a um alimento, não quer dizer que não possa vir a desencadear uma reação a esse mesmo alimento. Da mesma forma, pode acontecer que certo alimento ao qual era alérgico, anos mais tarde, deixe de causar qualquer tipo de intolerância.

Assim, ao notar qualquer alteração é importante ir monitorizando, através de exames, as reações alérgicas. Apresentamos então alguns tipos de alergias e ainda como podem ser detetadas e controladas:

Alergias respiratórias

São as mais comuns, sendo os ácaros e o pólen os principais causadores. Associadas estão também algumas doenças como a asma, a rinite, a sinusite e a conjuntivite, mas existem outras que deverá estar igualmente atento.

Alergias alimentares

Estima-se que 10% da população portuguesa sofra de alergia a algum alimento. Os causadores de reação mais comuns são os cajus, os amendoins, as amêndoas, as nozes, as castanhas, o sésamo, os kiwis, o chocolate, o caril e os ovos. Se nalgumas situações as reações apenas se limitam a erupções cutâneas e urticária, outras poderão levar à inflamação da garganta ao ponto de não conseguir respirar e desencadear um choque anafilático (reação alérgica imediata e imprevisível).

Alergias cutâneas

Manifestam-se sob a forma de manchas vermelhas na pele e causam muita comichão. As alergias deste tipo mais comuns são os eczemas atópicos (inflamação cutânea), eczemas de contacto e urticária. Caso tenha alguma crise, os anti-histamínicos aliviam o prurido e reduzem a inflamação embora deva sempre procurar aconselhamento médico.

O que fazer

Se alguma vez já passou por uma crise alérgica deverá dirigir-se a um especialista a fim de entender o que a poderá ter desencadeado. A alergologia – é a especialidade da Medicina que visa o diagnóstico e o tratamento das doenças alérgicas. Através desta especialidade deve fazer testes de forma a conhecer o seu corpo e perceber como é que este responde aos agentes causadores, deixamos alguns exemplos de testes abaixo:

Teste de punctura

Consiste em colocar pequenas quantidades da substância suspeita de causar a alergia na pele, normalmente no antebraço ou nas costas. Seguidamente a pele é picada para que a substância se infiltre debaixo da pele. As reações são depois analisadas.

Teste de contacto

Através de adesivo, são colocadas em contacto com a pele substâncias suspeitas de causar alergias, por um período de 48 horas. Sendo depois a área observada pelo médico e o parecer decorre da sua análise.

Teste de eliminação

Através de alterações na dieta alimentar, são retirados alguns alimentos e posteriormente reintegrados, um a um, de forma a observar possíveis reações.

Teste sanguíneo

As análises ao sangue podem ser feitas para medir a quantidade de anticorpos para um alergénico (agente provocador de alergia) específico no sangue.

Teste de provocação

Aqui expõe-se, em ambiente controlado, a pessoa a alergénicos suspeitos, isto pode ser feito através da alimentação ou pulverização.

Fontes:

Blog da Alergia
Activa
Sapo Lifestyle

Dica BLOGO:

  • A grande maioria das pessoas tem uma melhoria na qualidade de vida depois de efetuar os testes e de realizar os tratamentos necessários. É importante não descurar possíveis reações por mais pequenas que pareçam de forma a precaver-se o quanto antes.

Outros artigos que lhe poderão interessar